Núcleo de Segurança do Paciente

Núcleo de Segurança do Paciente

Informações importantes:
O Hospital Guadalupe vendo a necessidade das normas de segurança do paciente e atendendo as necessidades dos órgãos de saúde OMS e ANVISA, está em fase de implantação das Metas de Segurança do Paciente.

RESOLUÇÃO – RDC Nº 36, DE 25 DE JULHO DE 2013
Art. 1º Esta Resolução tem por objetivo instituir ações para a promoção da segurança do paciente e a melhoria da qualidade nos serviços de saúde. 

Art. 2º Esta Resolução se aplica aos serviços de saúde, sejam eles públicos, privados, filantrópicos, civis ou militares, incluindo aqueles que exercem ações de ensino e pesquisa.

METAS

META 1 – Identificar os pacientes corretamente

Falhas no processo de identificação dos pacientes podem causar erros graves como a administração de medicamentos e cirurgias em pacientes “errados”. Os profissionais devem checar pelo menos duas identificações antes da administração de medicamentos, sangue e hemoderivados, coleta de amostras de sangue e outras amostras para testes clínicos e quando da realização de tratamentos ou procedimentos.

META 2 – Melhoras a efetividade da comunicação entre profissionais de saúde.

Erros de comunicação entre os profissionais de assistência podem causar danos aos pacientes. No momento em que se faz uma ordem verbal ou telefônica, ou se comunicam resultados críticos de exames, devemos nos certificar de que a informação foi compreendida e registrada corretamente por quem a recebeu. Para isso, o profissional que recebeu a ordem ou resultado deve, em primeiro lugar, escrever o que ouviu e então “ler de volta” a ordem completa ou o resultado de exame.

META 3 – Melhorar a segurança das medicações de alta vigilância

Soluções de eletrólitos concentrados, por exemplo, o cloreto de potássio 02 mEq/ml ou mais concentrado, fosfato de potássio, cloreto de sódio mais concentrado do que 0,9%, e sulfato de magnésio 50% ou mais concentrado, insulinas e heparinas. Estas medicações não devem estar facilmente disponíveis no hospital e devem ser enviadas individualmente para cada paciente. Os carros de emergência possuem medicações de alta-vigilância que devem estar identificadas com a etiqueta vermelha e segregadas das demais.

META 4 – Assegurar cirurgias com local de intervenção correto, procedimento correto e paciente correto.

Cirurgias ou procedimentos invasivos em locais ou membros errados são erros decorrentes de falhas na comunicação. O processo se inicia com a educação do paciente, a marcação do local da cirurgia, a checagem de inúmeros itens na chegada ao centro cirúrgico, a verificação de diversas questões imediatamente antes da incisão cirúrgica e a checagem de itens no final da cirurgia. Será necessário a utilização de instrumentais padronizados e protocolos para a realização de uma cirurgia segura.

META 5 – Reduzir o risco de infecções associadas aos cuidados da saúde

A OMS estima que, entre 5% e 10% dos pacientes admitidos em hospitais, adquirem uma ou mais infecções. A higiene correta das mãos, de acordo com as diretrizes atuais da OMS ou do Center for Disease Control, e uma medida primaria preventiva fundamental.
Implementar estratégias para a educação e treinamento de técnicas para a higienização das mãos em toda a equipe; monitorar o uso de antibióticos para profilaxia e tratamento;
implementar medidas de prevenção da infecção da corrente sanguínea relacionada ao cateter venoso central em toda a instituição, praticar corretamente as técnicas de isolamento de contato, são alguns exemplos para reduzir o risco de infecção.

META 6 – Reduzir os riscos de lesões ao paciente, decorrentes de queda.

Prevenção de quedas onde todos os pacientes sejam avaliados e reavaliados periodicamente em relação ao risco de queda,  incluindo o risco potencial associado ao uso de medicamentos prescritos e a adoção de medidas para diminuir ou eliminar qualquer risco. Lembre-se de que pacientes idosos e sob efeito de medicações precisam de cuidados redobrados.

MEMBROS DO NÚCLEO DE SEGURANÇA DO PACIENTE DO HOSPITAL GUADALUPE:

D60 331 Dra. Ana Emília – Médica
SHB_7583 Danúzia Andrade – bloco cirúrgico
SHB_7568 Emanoella Mesquita – CCIH
SHB_7554 Ítalo Pimentel – CTI e Coordenador do Núcleo
SHB_7557 Mara Neto – Auditoria
SHB_7597 Maria Catarina – Hotelaria
SHB_7559 Nise Siqueira – Serviço Social
SHB_7566 Vânia Madureira – SND (serviço de nutrição e dietética)
SHB_7561 Zaira Magalhães – Psicologia

Comments are closed.